1

TNY: Volume 2 Capítulo 15


Autores: Aneko Yusagi
Tradutor: DarkHairedB0i

A Razão Pela Qual Foi Selada

Então, havia uma vila que necessitava de grandes quantias de herbicida. Nós partimos para lá.
“Mestre!”
“O que foi?”
“Ahn… Essas plantas são impressionantes!”
Raphtalia e eu erguemos nossas cabeças e olhamos para fora. A rua estava coberta por vinhedos contorcidos tão grossos que eles ameaçavam cobrí-la por inteira.
“Mas que diabos?!”
Se você observasse mais cuidadosamente, era possível ver as videiras se arrastando e se espalhando pelas ruas.
“A vila…”
Eu olhei ao redor para ter uma melhor noção dos meus arredores, e vi algo que se assemelhava à um campo de refugiados na distância.
“Filo, leve-nos até lá.”
“Certo.”
Nós alcançamos o campo e começamos a vender nossos produtos rapidamente.
“Então, que preço deveríamos definir para o herbicida?”
Os aldeões provavelmente precisavam dele para controlar os avanços das vinhas que vimos anteriormente
Eu estava começando a entender por qual razão o negociante de acessórios havia nos recomendado este local – certamente seríamos capazes de fazer negócios por aqui.
Mas quanto? Quanto dinheiro poderíamos receber?
“Talvez já haja algum especialista tentando resolver esta situação?”
“Talvez.”
Nós saímos da carruagem e começamos a perguntar.
Eu alterei o meu escudo regular para o Escudo Livro. Então eu o rotacionei para dentro de meu braço, para que parecesse que eu era apenas um mercador caminhando com seu livro em mãos. Se eles não o percebessem como um escudo, não saberiam que eu era o Herói do Escudo.
“Ouvi dizer que vocês precisam de herbicida, e estão dispostos a pagar.”
Eu encontrei uma pessoa no campo vestida de forma levemente melhor do que as outras. Ele parecia ser o responsável local.
“Ah… Um mercador? Você chegou na hora certa.”
“O que houve aqui?”
Eu olhei para o horizonte coberto de vinhas.
Isso me fazia lembrar… Eu já tinha ouvido sobre esse lugar antes. Mas Motoyasu não tinha cuidado dos problemas daqui?
“O Herói da Lança foi capaz de quebrar o selo de uma antiga semente milagrosa para nós. Isso resolveu o problema da fome, mas mesmo assim…”
“Você está me dizendo que esse é o efeito da semente?”
Eu olhei novamente para as vinhas. Ao prestar um pouco mais de atenção, eu fui capaz de perceber diversas frutas e vegetais crescendo dos caules retorcidos.
Então, aparentemente, os aldeões tiveram o problema da fome resolvido, mas as vinhas eram poderosas demais e eles estavam ficando sem espaço para viver.
Quão estúpidas essas pessoas podem ser?
Parando para pensar, essa deve ter sido a razão pela qual a semente foi selada. Se eles tivessem apenas a deixado lá, tudo estaria bem.
Motoyasu, seu tolo! No que ele estava pensando?
Ah é… Nós estivemos perto daqui algum tempo atrás, enquanto viajávamos com a bruxa.
‘Para aquele que deseja quebrar o selo da semente: é o meu desejo que esta semente jamais seja lançada no mundo. Ela brincará com as pessoas e sua vontade de serem libertos da fome, atendendo a este pedido da pior forma possível. O selo não será facilmente quebrado.’
Sim, era isso o que estava escrito no aviso. Por que ele quebraria o selo?
Ele deve ter ignorado a mensagem escrita. Mesmo com toda a sua experiência com este jogo, ele deve ter desconhecido isso.
“Não há problemas aqui nas periferias. Mas, nas regiões mais centrais do vilarejo, as plantas começaram a se transformar em monstros.”
Então as plantas eram capazes de mutações… Ótimo.
Ele realmente era um imbecil.
Meu humor se arruinava facilmente. Aconteceu muito rápido desta vez.
Motoyasu realmente sabia como estragar meu humor.
“Então é para isso que vocês precisam de herbicidas?”
“Sim.”
Essas pessoas eram, em sua maioria, agricultores. Como elas foram capazes de perderem o controle sobre essas vinhas?…
“No início nós estávamos muito felizes. Mas, uma vez que as vinhas começaram a tomar conta de nossos campos, e depois nossas casas… Bem, nós saímos com machados e tentamos impedir seus avanços, mas elas eram rápidas demais.”
“Quando foi que tudo isso começou?”
“Uma vez que o Herói partiu, não tivemos problema algum por duas semanas. Mas cerca de quinze dias atrás, as coisas começaram a-”
“Aham. Vocês não relataram este incidente à Coroa?”
“Relatamos sim, mas eles disseram que levaria algum tempo até que um Herói pudesse chegar até aqui. Por conseguinte, nós fomos forçados a fazer todo o possível utilizando herbicida por enquanto…”
… Eu deixei escapar um suspiro involuntário.
“Por que vocês não tentam queimá-las?”
“Nós tentamos tudo aquilo em que pudemos pensar.”
“Então vocês já tentaram queimá-las…”
Eles provavelmente tentaram encontrar aventureiros para ajudá-los também.
Eu olhei ao redor no campo de refugiados e, como o esperado – havia alguns grupos de pessoas com armas e equipamentos. Estes definitivamente não eram aldeões.
Um grito ensurdecedor veio da direção da vila.
“O que foi isso?!”
“Nós tentamos impedi-lo, mas um dos aventureiros quis ir até a vila para aumentar seus níveis. Este grito deve ter sido dele.”
O aldeão suspirou ao terminar sua resposta, como se tivesse feito todo o possível.
“Droga! Filo!”
“Pode deixar!”
Eu apontei em direção à vila. Filo estivera enchendo suas bochechas com as frutas dos vinhedos, mas desatou a correr diante de meu sinal.
Ela correu em velocidade máxima para dentro do vilarejo, e retornou pouco tempo depois juntamente com três aventureiros. Eles estavam bem feridos.
“Qual é a situação da vila?”
“Hmm… Bem, as plantas-monstro estavam se contorcendo sobre tudo. Haviam algumas divertidas que cuspiam ácido e veneno e coisas do tipo. Aventureiros mais fracos não deveriam ir para lá, seu idiota!”
“Essa última parte não era necessária.”
“Certo!”
Os aldeões ficaram chocados ao ouvirem a Filo falar.
“Oh, nós ouvimos sobre você! Você é o santo milagroso que anda na carruagem do pássaro-deus!”
Como se tivessem acabado de perceberem a minha existência, os aldeões vieram apertar a minha mão.
“Bom, eu não sei nada sobre ‘santos’… Mas eu tenho um pássaro e uma carruagem.”
“Por favor, salve nossa vila! Algumas pessoas foram até mesmo consumidas pelas vinhas!”
“Você está me dizendo que elas também são parasíticas? Caramba…”

Eu peguei alguns medicamentos de restauração e herbicidas e fui guiado até uma tenda. Lá dentro havia um grande número de pessoas deitadas, e seus corpos estavam meio transfigurados em plantas.
“Eu não posso prometer que serei capaz de curá-los. Além disso, eu não sou filantropo. Eu espero ser compensado por isso.”
“Sim…”
Eu caminhei até o paciente mais próximo, uma criança que parecia estar com problemas para respirar, e administrei o medicamento de restauração.
A criança foi envolvida por uma luz suave, e sua respiração pareceu se estabilizar. Eu então apliquei o herbicida em seu corpo nas áreas afetadas.
A criança parecia estar com dor por um curto período de tempo, mas então as folhas em seu corpo murcharam e caíram, e então ela parecia curada.
“Oh…”
“Como esperado de um santo!”
Todos estavam sussurrando entre si, espantados. Eu apliquei o medicamento e o herbicida da mesma forma para todos os outros pacientes.
Uma vez que todos estavam curados, o humor geral do campo melhorou muito. Acho que qualquer um ficaria feliz ao ver um conhecido seu melhorar de uma doença, não importando o quanto.
“Obrigado! Muito obrigado!”
Todos estavam me agradecendo.
“Hora de pagar.”
Eu pedi por um pagamento maior do que o valor de mercado.
A razão para isso foi a seguinte: se eles já haviam apelado para a Coroa e pedido ajuda, então havia a possibilidade de que outro Herói surgisse a qualquer momento. Se isso acontecesse todos iriam descobrir quem eu era, e então a conversa tomaria um rumo bem diferente.
Os aldeões me pagaram alegremente. Tudo estava indo de acordo com o plano.
“Certo, eu venderei o herbicida para vocês. Vamos fazer isso rápido. Uma vez que vocês tenham comprado, eu vou embora.”
“Ahn… Santo… Você poderia salvar nossa vila?”
“O que?! Eu achei que vocês tivessem chamado um Herói.”
“Sim, mas…”
Ugh… Todos os aldeões estavam se jogando aos meus pés enquanto imploravam.
Eu não era exatamente todo-poderoso. Além disso, não é como se eu fosse responsável por eles.
“Não, obrigado.”
“Por favor. Se você precisar de dinheiro, daremos um jeito…”
“Vocês vão ter que me pagar adiantado. E, caso algo aconteça, eu não quero ouvir reclamações. Se vocês sabem qualquer informação sobre a semente da qual o Herói da Lança quebrou o selo, agora é a hora de dizer.”
Os aldeões chamaram uns aos outros, e logo eu estava cercado por pessoas tirando dinheiro de seus bolsos. Eu passei todo o tempo tentando descobrir todo o possível sobre a semente.
Aparentemente a semente havia sido selada em algumas ruínas próximas, e era protegida por um guardião poderoso.
Se as vinhas estavam dominando tudo, alguém deve ter pelo menos se perguntado sobre o que aconteceu com o guardião. Ou não? Eu suspirei… Esse aldeões não eram muito úteis.
Os aldeões acreditavam que a semente era a obra-prima de um alquimista que tinha construído seu esconderijo naquelas ruínas. Eles também acreditavam que a semente havia sido selada em algum momento posterior. De acordo com suas estórias, esta região também havia sido dominada por vinhas em algum momento no passado.
“Se vocês tem esse tipo de estória por aqui, por que vocês removeriam o selo da semente?! Ninguém percebeu nada?”
Todos olharam para o chão.
Eles provavelmente pensaram que era seguro porque um Herói havia trazido a semente para eles.
Nós estávamos discutindo sobre isso quando eles anunciaram que havia conseguido a quantia de dinheiro que eu havia pedido.
Era muito dinheiro. Eu poderia ter simplesmente o aceitado e fugido depois.
“Certo, acho que eu entendo. Farei o possível.”
Eu mudei meu escudo para o Escudo da Víbora Quimérica. Ele seria mais útil em batalha.
“O… O Herói do Escudo?!”
Eu ignorei os gritos dos aldeões e me aprofundei nos emaranhados de vinhas. Raphtalia e Filo me seguiam de perto.
Eu coloquei todo o dinheiro dentro de uma bolsa e a amarrei ao redor de minha cintura, antes de ir cada vez mais para dentro dos vinhedos.